Se você é fumante, já fez as contas de quanto gasta com cigarro por ano e como poderia empregar esse dinheiro sem fazer fumaça dele? O cearense Nilo Veloso, de 66 anos, de Fortaleza, realizou esse cálculo. Mas só depois de um baque não financeiro, mas de saúde – um mal-estar súbito, ocorrido há cerca de 12 anos. A partir de então, passou a depositar a grana que investia em três maços por dia em um cofrinho. E não foi pouco o que ele passou a acumular por ano: R$ 5.800, empregados em viagens, reformas em sua casa, dois computadores, câmeras digitais e uma bicicleta.

Nilo Veloso em busca de horizontes menos esfumaçados

Créditos: Reprodução/arquivo pessoal

Nilo Veloso em busca de horizontes menos esfumaçados

Veloso fumou durante 34 anos. Já aposentado, o ex-comerciante, em vez de tragar os dias no vício, decidiu que exploraria novos horizontes, menos esfumaçados.

Assim, foi para a Serra Gaúcha, o Chile, a Argentina e o Uruguai com sua mulher. A aquisição da bike, por sua vez, contribuiu para um estilo de vida mais “fitness”: o ex-tabagista pedala quatro vezes por semana com os amigos – chega a percorrer 40 km por vez – e emagreceu mais de 20 quilos.

O cigarro virou bicicleta

Créditos: Reprodução/arquivo pessoal

O cigarro virou bicicleta

O dinheiro economizado com os cigarros é guardado com rigor para os destinos que Veloso planeja para a “bufunfa”. Entre eles, desfilar pela Mangueira no Carnaval do Rio e visitar a cidade de Aracaju.

Podemos dizer que Nilo Veloso é um homem que saiu para comprar cigarros e não voltou mais – ao vício, no caso: tomou outros rumos, e bem consta que melhores.

Milhares de reais em moedas

Créditos: Reprodução/arquivo pessoal

Milhares de reais em moedas

Por QSocial