Há os que dizem que a vida começa aos 40. Seria, então, na maturidade o despertar para uma existência mais plena? No entanto, quatro décadas podem não bastar para atingi-la. Foi aos 75 anos, por exemplo, que Rebecca Danigelis descobriu o espírito da plenitude, ou até, por assim dizer, da juventude. E muito graças ao filho, Sian-Pierre Regis, que a levou para uma jornada de realização de desejos que vai até virar filme – “Duty Free”, ou “livre de impostos”.

Essa liberdade nunca esteve presente durante os 50 anos em que a imigrante Rebecca trabalhou em um hotel de Boston, Estados Unidos. A profissão ocupava tanto sua vida que, ao ser inesperadamente demitida, ela perdeu o chão – mesmo porque se viu preterida em relação a outras oportunidades no mercado, justamente devido à idade.

“Acabo de ser mandada embora, apenas queria que você soubesse disso. Ligue-me. Tchau.” Foi essa a mensagem de voz que Regis recebeu da mãe na ocasião. Ele estava em Paris à época.

Sian-Pierre Regis leva sua mãe, Rebecca Danigelis, para realizar seus desejos reprimidos por 50 anos de trabalho intenso.

Créditos: Reprodução/Duty Free Movie

#partiurealizaçãodesonhos

O filho não apenas telefonou de volta. Fez muito mais que isso: decidiu que ajudaria Rebecca a realizar todos os sonhos que haviam ficado à espera durante os anos em que o trabalho a consumiu.

Era também uma questão de gratidão. Afinal, o emprego na área de hotelaria foi fundamental para que ela criasse Regis e o irmão dele, sem a ajuda de mais ninguém.

O chão de Rebecca passou a ser reconstruído a partir de uma lista: tudo aquilo que ela gostaria de fazer antes de morrer.

Daí surgiram, então, 12 itens, ou os 12 trabalhos de Regis. Sim, porque ele se propôs a viabilizar a realização dos desejos.

Créditos: Reprodução/Duty Free Movie

Uma aula de hip-hop fez parte do pacote

Boa parte deles já foi “ticada”, caso da diversão pura de participar de uma aula de hip-hop ou ao tirar leite de uma vaca no Estado americano de Vermont.

Mas nem só o entretenimento havia sido engavetado na vida da profissional de hotelaria.

Por não conseguir folga no hotel, Rebecca não pode comparecer ao funeral da própria irmã, na Inglaterra. Levar a mãe até o túmulo da tia foi um dos 12 trabalhos de Regis.

Créditos: Reprodução/Duty Free Movie

O reencontro com a filha e a neta

Ele conta que ela soluçou diante da sepultura, enquanto dizia: “Queria ter vindo antes”.

Dez anos sem ver uma filha e a neta também foram resultado da dedicação plena ao emprego. Regis providenciou esses reencontros como parte da missão.

Créditos: Reprodução/Duty Free Movie

Solta como um balão, pela primeira vez na vida

A lista de desejos inclui ainda aventuras como pular de paraquedas e correr a Maratona de Boston. Tudo vem sendo filmado para fazer parte do filme “Duty Free”, cuja conclusão está prevista ainda para este ano.

"Há um espírito dentro dela que eu nunca vi tão brilhante”, diz Regis sobre a mãe. “Ela tem 75 anos, mas nunca a vi mais jovem do que nesses momentos.”

Há os que dizem que não há idade para viver plenamente. Quem duvida disso não conhece Rebecca Danigelis.

Leia também: Para ter álbum de casamento, casal refaz cerimônia 60 anos depois

Por QSocial