Se você já ouviu falar de volunturismo, deve saber que se trata de um tipo de viagem que as pessoas não realizam apenas a passeio mas também para exercer algum trabalho voluntário no local de destino. A prática é mais comum entre jovens recém-formados; porém, uma italiana de Vicenza, na Itália, resolveu contrariar as estatísticas ao fazer um mochilão social no Quênia, aos 93 anos.

Irma Dallarmelina em trabalho voluntário no Quênia

Créditos: Reprodução/Facebook/Elisa Coltro

Irma Dallarmelina em trabalho voluntário no Quênia

Irma Dallarmelina, mais conhecida como dona Irma, partiu de mala, bengala e cuia – bem, a cuia é só uma licença poética – para ajudar a cuidar de crianças em uma aldeia do país africano durante três semanas.

E como o mundo ficou sabendo disso? Não, não foi pela própria dona Irma, que, em um afã de discurso novidadeiro, teria propagado seu feito. Sua neta, Elisa Coltro, é que resolveu publicar nas redes sociais a iniciativa aventureira da avó.

Segundo Elisa contou ao jornal italiano "La Repubblica", sua intenção nem era a de viralizar a história de Irma, mas apenas de dividi-la com amigos e familiares. O alcance dos posts, no entanto, foi bem além dos círculos próximos: somou 89 mil curtidas e 19 mil compartilhamentos no Facebook.

De mala, bengala e cuia rumo à África para um mochilão social

Créditos: Reprodução/Facebook/Elisa Coltro

De mala, bengala e cuia rumo à África para um mochilão social

E não pense que esse é o primeiro mochilão do bem que Irma Dallarmelina fez. Em 2016 e 2017, essa volunturista nonagenária viajou para a Grécia para ajudar refugiados sírios em Salonica e Atenas.

Leia também: Empresário planta sozinho 22 mil árvores e cria parque na Penha

Por QSocial